Folha de goiabeira, um poderoso antidiarreico e antidiabético

A goiaba, uma planta da família Myrtaceae que conhecemos bem no Brasil, tem o nome científico Psidium guajava e o nome farmacêutico Folium Psidium Guajavae, porque são os seus brotos (folhas novas ricas em taninos) que são usadas para fazer chás, e não seus frutos, para curar. Tem um gosto amargo e adstringente, aquele que quando colocamos na boca, sentimos um popularmente chamado “ranço”. No Brasil a goiaba também pode ser conhecida como Guava, Guaiava, Araçá-goiaba ou Guaiba. É uma planta nativa de toda a América do sul, quando os Europeus chegaram aqui já era conhecida pelos índios.

goiaba-psidium-guajava

É uma árvore de copa aberta que pode medir até 7 m de altura, de folhas opostas, oblongas, coriáceas, aromática com pelos, de flores brancas e fruto tipo baga com polpa doce e cada um mede cerca de 10 cm de diâmetro. A P. guajava var. pomifera tem polpa vermelha e a P. guajava var. pyrifera tem polpa branca.

Os portugueses, ao chegar no Brasil aprenderam a dizer “goiaba” e “araçá” com os índios, para se referir a goiaba (com fruto maior) e ao araçá (com fruto menor e mais azedo) pois no Tupi-guarani “a” significava “fruta” e “eça”, “olhos”, como quem quer dizer “frutos parecidos com olhos”; e” koyha” de onde se derivou o nome goiaba significa “sementes aglomeradas”. O gênero Psidium vem do grego sidion que era o nome da Romã, por que a goiaba, os frutos se pareciam com a romã, e ainda “guajava” vem do espanhol “guayaba“. Já existia descrições do uso das folhas da goiaba para disenteria no livro Libellus de Medicinalibus do México em 1552, era o livro do conhecimento dos índios que já viviam por aqui, pois já eram uma civilização com cidade e tudo. Até naquela época portugueses mandavam para Portugal geleias feitas com a planta para curar disenteria.

Componentes: Taninos hidrolisáveis como as guavinas A, C, D e pedunculagina, também flavonoides, terpenoides, ácidos fenólicos, óleo essencial, etc.

Esses componentes tem diversas propriedades medicinais como antidiarreico, pois age reduzindo a mobilidade do intestino, antibacteriano, inibindo o crescimento das bactérias de várias sobretudo as que atacam o intestino como Salmonella e Shigella e também a que provoca a cárie como Streptococos mutans. É antiparasita contra amebas intestinais e sanguíneos. Os taninos agem como antimicrobiano e cicatrizante, também age como espasmolítica diminuindo as dores intestinais que aparacem nessas doenças. Combate tosse. Combate hiperglicemia do diabetes tipo 2 porque aumenta a insulina no corpo diminuindo a hiperglicemia, devido as componentes fenólicos e flavonoides. É ainda anti-inflamatória, analgésica e antipirética (diminui febre) e calmante. Mas o que elas mais agem no corpo, o motivo de serem procuradas para serem consumidas é com ação Antidiarreica, foi o que se mostrou mais resultados, depois vem antimicrobiano e cicatrizante, e ainda espasmolítico e como hipoglicemiante.

Para usar é só fazer o chá colhendo da árvore em torno dez brotos (a ponta dos ramos novos) e picar depois de lavar e despejar em meio litro (500ml) de água fervente. Tampar e coar depois de 10 minutos, tomando 1 xícara 3 vezes por dia.

Dicas: Esses brotos usados pode ser estimulado sua produção na planta com a poda frequente da árvore, assim como rega frequente para que ela pegue o embalo para crescer mas use essa energia para o crescimento dos brotos pois os ramos estarão podados.

Sobre 

Ciências Biológicas - UFPB
Email: eversonsazevedo[at]gmail.com
Siga-me!

    Me encontre em:
  • facebook
  • twitter
Última atualização: 2 de dezembro - 2017 às 3:19

Faça parte do nosso grupo no Facebook

grupo facebook

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.