Cavalinha faz chá emagrecedor diurético e adstringente do sistema urinário

A família Equisetaceae da cavalinha tem plantas rizomatosas perenes que podem ser terrestres ou aquáticas chegando até 8 metros de alturas algumas, mas nem todas tem esse tamanho, a maioria chega a 1 metro. Sua principal característica estão nos nós que formam intumescências ao longo dos ramos que são iguais aos caules. Ao longo dos ramos tem as folhas que circundam. No ápice estão os esporângios como um cone. Ocorre em todos os continentes, com exceção da Austrália, Nova Zelândia e Antártica. Ocorre mais na parte superior do globo em áreas alagadas. Só possui um gênero que é o Equisetum e 15 espécies. O nome Equisetum vem de “Equi” / “equus” = cavalo; “setum” = seta, folha, pelo; devido a suas folhas, ou formas primitivas de folhas, parecerem cristas de cavalos. Não possui importância econômica, mas antigamente era usada sua sílica que é um material como se fosse vidro que a planta secreta, para limpar panelas. Hoje em dia é usada como medicamento caseiro, principalmente para emagrecer. É uma planta histórica na biologia pois surgiu no Devoniano há mais de 408 milhões de anos e seguiu a colonização das plantas na terra quando estas evoluíram de algas no mar, por isso a planta tem características tão simples em comparação com as que conhecemos das angiospermas (plantas com flores). A cavalinha não possuem flores nem sementes, mas estróbilos com esporos.

A cavalinha usada como planta medicinal chega a 60 cm de altura, progride na primavera em locais onde tem reservas subterrâneas de água. Caule ereto, oco. O extrato de cavalinha é estudado no controle da requeima e oídio que são doenças na cultura de frutos como o tomate. Serve como adstringente do sistema urinário e reduz hemorragias.
Contém flavonoides, ácido cafeico, principalmente na parte aérea e riqueza de estirilpironas nas raízes. Ricas em sílica e cálcio ajudando na cicatrização de feridas, acidez no estômago, azia principalmente as cinzas da planta.

cha de cavalinha

O chá se faz com as folhas secas na quantidade de uma xícara como uma decocção quando se ferve a água com suas folhas por 3 minutos. Tomar 1 xícara 3 vezes por dia após as refeições.

Sobre 

Ciências Biológicas - UFPB e cia.
Email: eversonsazevedo[at]gmail.com
Siga-me!

    Me encontre em:
  • facebook
  • twitter
Última atualização: 16 de abril - 2017 às 21:18

Faça parte do nosso grupo no Facebook

grupo facebook

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.