Por que a mesma espécie de planta pode ter nomes científicos diferentes?

Acontece muito, principalmente com quem é leigo no campo das ciências ficarem em dúvidas com relação a isso. Ora, se o nome científico foi feito como um nome definitivo, que serve para evitar confusões com os nomes populares que são muitos e sofrem discrepâncias no mundo, porque ainda os nomes científicos podem ser diferentes? Aí está o ponto chave da questão. Quando uma planta é descoberta (por algum cientista vinculado a algum órgão público, universidade, etc., como a Estévia, por exemplo, que já era conhecida dos índios paraguaios mas foi “descoberta” por um cientista recentemente há mais de 100 anos) quem descobriu nomeia a espécie com algum radical de uma palavra que lembre alguma característica da planta, lugar onde foi descoberta, ou nome de alguém e esse nome é latinizado, pois o padrão é que nomes científicos sejam em Latim (Lineu quem começou a nomenclatura no século 18, ele era Sueco, mas usou o Latim que era a língua que se usava no meio científico, pois a igreja que dotava do conhecimento).

Ciprestre da Patagônia

Um exemplo é o Ciprestre-da-Patagônia (Patagônia é a região fria da América do Sul), uma conífera da América do sul que foi nomeada assim, como seu nome científico Fitzroya cupressoides devido ao comandante do navio onde Darwin viajou pelo mundo e desenvolveu sua teoria da evolução das espécies, lançada seculo 19 junto a Wallace. Fitzroy foi o comandante que convidou Darwin para uma viagem pelo mundo de vários anos desde a Inglaterra, passando pelo Brasil, Argentina, na parte direita, atravessando a parte de baixo do continente da América do Sul (canal do beagle) e subindo pelo Chile até chegar as Ilha Galápagos no Equador, mais acima. Embora tenha ficado chateado, pois Darwin na época ficou muito famoso pela teoria, e ele foi pouco lembrado e homenageado, porém contribuiu bastante desde convidar Darwin para a viagem até ajuda-lo em identificação de espécies que Darwin perdeu os nomes. Hoje em dia ele é bastante lembrado no meio científico. Assim um nome pode levar o nome de uma pessoa.

Fitzroy

FitzRoy – Comandante do Beagle

Hms Beagle

Hms Beagle

Voltando ao assunto, se esta espécie nomeada incorretamente nesse gênero de plantas Fytzroya, outra pessoa pode fazer isso colocando a espécie em outro gênero do modo certo. Se este Ciprestre mudasse de Fitzroya cupressoides para outro gênero, o gênero mudaria mas o epíteto específico continuaria o mesmo no outro nome que se tornaria oficial. Vamos super que mudou de Fitzroya cupressoides para Patagonia cupressoides, os dois continuam sendo usados para chegar até a espécie que estamos tratando. São sinônimos, porém o oficial é o que está descrito de maneira correta agora. É por isso que o nome científico pode mudar quando estamos tratando de uma espécie.

Sobre 

Ciências Biológicas - UFPB e cia.
Email: eversonsazevedo[at]gmail.com
Siga-me!

    Me encontre em:
  • facebook
  • twitter
Última atualização: 17 de março - 2017 às 23:06

Faça parte do nosso grupo no Facebook

grupo facebook

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.