Dendê – O futuro do biodiesel no Brasil

Nome vulgar: Dendê, palma-de-guiné, palmeira-de-óleo-africana, aabora, aavora, palma, dendém (em Angola), coqueiro-de-dendê, e palmeira-dendém.

Nome científico (botânico): Elaeis guineensis.

dende-elaeis-guineensis-2

Fotografia: Phuong Tran

Informações

É uma palmeira que é originária da África e vem sendo usada no Brasil, sobretudo na Amazônia, há mais de 50 anos.

É a melhor alternativa para a produção de Biodiesel e pode revolucionar o setor energético no Brasil. Seu uso proporciona menos impactos ambientais. É melhor usar o dendê do que o babaçu ou soja porque ela se dá bem em nosso clima e inclusive cresce em terras que foram usadas e já estão degradadas devido a pecuária bovina.

Plantando o dendê em áreas desmatadas, recupera a Amazônia e faz ela produzir ao invés de usar as terras degradadas pelo desmatamento como pasto de bovinos, gerando até o gás metano, que contribui para a degradação do meio ambiente.

dende-elaeis-guineensis-1

Fotografia: Phuong Tran

Características

O tempo de vida útil da planta é de 20 anos. Quando ela é plantada, depois de 3 anos ela começa a produzir.

Comparando-se com a soja, o dendê rende quatro vezes mais. Para se plantar soja, é preciso sempre depois da colheita ela ser replantada, degradando assim o solo, expondo ele a altas temperaturas sem a cobertura das plantas, expondo à chuva, gerando diversos outros efeitos negativos. Com o dendê não, a planta tem mais de vinte anos de vida e sempre a área será coberta, sem falar nos inúmeros aproveitamentos que podemos ter com a planta e o fruto.

O dendê é uma das alternativas para solução das áreas degradadas oficialmente declarada pelo programa de Biodiesel brasileiro.

Problemas

Recentemente foi descoberto um plasmódio, um tipo de praga microscópica que acomete a palmeira e faz ela adoecer e morrer, mas uma planta híbrida (cruzamento fecundo de duas espécies da planta) já conseguiu contornar o problema, resultando em uma planta mais resistente a essa praga.

Usos

Pode-se usar o dendê na alimentação no preparo de gordura para panificação, margarina, pó para sorvete, manteiga vegetal, óleo de cozinha, massas e tortas.

Pode- se usar o óleo do dendê para fabricar velas, detergentes, cosméticos, glicerina, giz e lápiz de cera, creme de cabelo, lubrificantes, resinas, shampoo, tintas, sabão, sabonete, etc.

É um futuro substituto do óleo diesel por ser de uma planta que produz rápido, e por possuir diversas utilidades e também dura muito tempo.

public

Sobre 

Ciências Biológicas - UFPB e cia.
Email: eversonsazevedo[at]gmail.com
Siga-me!

    Me encontre em:
  • facebook
  • twitter
Última atualização: 13 de novembro - 2013 às 2:53

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.