Abricó-do-Pará é uma planta nativa de regiões amazônicas, onde o mais usado são seus frutos para aproveitar sua polpa. Possui compostos bioativos que já foram isolados. Apesar de ser uma planta tóxica, com certo cuidado pode ser usado como planta medicinal para curar doenças parasitárias internas, ou que acomete a pele, como coceira, dermatite, etc. O Epíteto específico “americana” indica que ela é de origem das Américas, e portanto também está presente em outros continentes mas de origem deste. É uma planta promissora para estudos com biocombustíveis no mundo. Outra propriedades da planta é como inseticida, bastante usada para aplicar no corpo de animais para eliminar carrapatos e outros ectoparasitas. Porém é mais conhecida pelo consumo do fruto.


Nome científico
Mammea americana

Outros Nomes

Abricó, Abricó-do-Pará, Abricoteiro, Abricó-de-São-Domingos, Abricó-selvagem, Rojo. Em inglês: S.Domingo Apricot, Apricot, Mammee apple, Mamme, Mammey


Família
Angiospermae - Clusiaceae - Guttiferae

Características

Hábito arbóreo, planta sempre-verde, tronco curto, com até 1,2 metros de diâmetro, copa oval, folhagens densas.

Pode ter na natureza de 8 a 15 metros de altura

Lactescente

Folhas simples e coriáceas (duras), glabras (sem pelos) de 9 a 15 cm de comprimento cada. Verde escuro.

Flores masculinas e/ou femininas (unissexuadas)

Filotaxia: Oposta

As flores podem ser solitárias, mas algumas plantas dão pequenos fascículos de 2 a 3

Flores caulinares

Flores com pétalas brancas e com a característica de terem muitos estames em cada

Pode ser feminina, masculina ou hermafrodita.

Fruto: Baga com até 25 cm de diâmetro podendo chegar até 3 quilos os maiores. A polpa do fruto é comestível.

O fruto era confundido com uma drupa, porém é uma baga. De acordo com o artigo científico, a casca do fruto é o exocarpo, periderme com lenticelas e mesocarpo que percorre longitudinalmente por ductos secretores e feixes vasculares. Já no endocarpo não tem ductos, e vem da atividade do meristema ventral e da epiderme interna do ovário no que as células se alongam radialmente e transforma-se na polpa que é amarelada. Esta parte amarelada é que é comestível e é rica em açúcar e fibra. Os óvulos é que dão as sementes. O que dá o aspecto fibroso aos frutos vem de fibras de esclerênquima longas que acompanham o feixe vascular (não é drupa, é baga).


Componentes Químicos

Várias cumarinas nas sementes (mameína) com estrutura complexa e que tem ação inseticida


Benefícios no organismo e propriedades medicinais

Anti-helmínticaAperienteEstimulante

As partes da planta que tem mais propriedades inseticidas são as sementes, o látex da casca e algumas substâncias do fruto verde e são usados principalmente em ectoparasitas. Tomar cuidado principalmente com o extrato das raízes e sementes, pois são tóxicas.

Partes usadas

Casca do tronco, Fruto, Semente, Goma (resina-latex) que se dá na casca


Como usar / Chás e receitas

Um licor é feito fermentado das flores. O vinho é feito fermentado das frutas.

Por ser uma planta sempre-verde, que se adapta fácil e tem uma densa folhagem, folhas coriáceas duras que não sujam muito o ambiente e são usadas como ornamentais em casas, parques etc. Outro uso é para evitar erosão por causa das raízes laterais que crescem e seguram a terra ao redor.

Pode ser feito o fruto fresco para beber ou fazer polpa conserva. É rico em pectina.

Fazer a decocção (chá) da casca

Água destilada das flores

Chá das folhas + sementes


Pra que serve? (indicações)

bicho de péCarrapatococeiraDermatiteParasitosepicada de insetoResolutivaVulnerária

Localização

É nativa da região Amazônica

Distribuição no mundo: Nativa da Republica dominicana, Haiti, Jamaica, Porto Rico. Exótica de Barbados, Bahamas, Filipinas, Zanzibar, Venezuela, Brasil, Bermudas, Equador, Costa Rica, Colombia, El Salvador, Ilhas Virgens, Estados Unidos, Serra Leoa, Suriname, México, Panamá, Guatemala, Guiana Francesa, Guiana.


Cultura e como plantar

Plantar em solos profundos, rico em matéria orgânica, com boa drenagem. Porém a planta se adapta bem. Altitude 0-1 600m, temperatura 27 a 30 graus Celsius

Com 8 anos já começa a dar frutos. No Oeste da Índia floresce de maio a outubro.

Para fazer o plantio, recomenda-se 10 metros de distância se for para cultivo da planta para aproveitar o fruto. Porém, se for para extração da madeira, pode ser mais perto. Tomar cuidado com Aulographum melioloides que atacam suas folhas.


Fotos:

folhagem-abrico-do-para fruto-abrico-do-para flor-abrico-para

Última atualização: 7 de julho - 2016 às 22:33
Lista das plantas medicinais de A a Z

Continue lendo mais plantas com letra "a"

  • Angelim falso (ou pau bicho)
  • Antúrio
  • Agaí
  • Araticum - Annona spinescens
  • Abricó-do-Pará - Mammea americana
  • Mais

  • Continue lendo mais artigos

    Sobre 

    Ciências Biológicas - UFPB e cia.
    Email: eversonsazevedo[at]gmail.com
    Siga-me!

      Me encontre em:
    • facebook
    • twitter